terça-feira, 6 de novembro de 2012

Lá vai minha crônica...novinha e reformulada....Oba!!!!

UM DIA PARA A HISTÓRIA



Sábado!

João abriu os olhos e levantou mais cedo aquela manhã!

Consultou o relógio para ver a hora e foi até a janela olhar o dia. O céu estava nublado. Ele sentia algo no ar.

Levantou, foi ao banheiro escovar os dentes, lavar o rosto.

Depois foi à cozinha , preparou o seu café e os ovos como de costume. Se sentou à mesa e saboreou aquele alimento como se fosse o seu último; afinal era sua refeição predileta. Mas, continuava sentindo algo diferente no ar; era como se fosse acontecer alguma coisa.

Mas o quê?

Não sabia ainda!

Levantou da mesa, arrumou tudo e foi colocar o lixo para fora como de costume. Lembrou que precisava passear com Rex, senão ele não comia. Mal acostumado era pouco para ele!

Se aprontou, colocou a coleira em seu animal quando escuta a campainha tocar.

Deixa o Rex ali e caminha até a porta, destranca a fechadura, abre a porta.

Ruas desertas!

Céu nublado!

E sensação estranha!

Tudo junto!

Olha para baixo , vê um homem caído na soleira da porta. Toca-o com o dedo e o sente frio e rígido. Estava muito assustado. Não sabia o que fazer. De repente, ao olhar do lado percebe uma mala preta.

Ele parou estático.

O que seria aquilo?

Documentos?

Roupas Velhas?

Nossa!!! Olhou para um lado e para outro

Nada!

Só havia Rex, Ele , a mala e o corpo!

Ele sabia que o que fizesse poderia comprometê-lo, mas era um risco.

Decidiu abrir.

Nossa! Nunca vira algo igual. Tanto dinheiro juntos.

Fechou a mala rapidinho,e entrou deixando o corpo estirado lá. Meio paralisado e ligou a TV para pensar melhor , pois sabia que todos seus problemas estariam resolvidos com o achado.

Algo “batucava” em sua cabeça dizendo que aquilo não era certo, pois não era seu e ainda mais com uma morte envolvida na história. E o que fazer com aquele corpo. E se o culpassem pela morte.

Não!!! Isso não podia acontecer!

Sentou-se no sofá cheio de dúvidas, olhou para TV quando aparece do nada no intervalo do seu programa favorito uma senhora muito simples fazendo um apelo. Quem achasse uma mala preta com uma quantia considerável de dinheiro, era só ligar no nº que aparecia na tela, pois ela havia sido roubada por um homem de identidade não conhecida.

Ele ouviu aquilo e ficou estarrecido.

Oh não!!! Era o homem que estava esticado em sua varanda. O que fazer sem causar alarde!!

Desesperado , resolveu ligar. A senhora atendeu. Ele não sabia o que falava.

Bom dia!

A senhora teve sua mala cheia de dinheiro roubada?

Oh!! Sim, meu caro jovem!

Pois é, eu a achei e o homem que a roubou está deitado, morto em minha varanda.

Estou desesperado!! Não sei o que fazer.!

A é! Ele está?

A senhora sorrindo disse:

- A mala é sua e o conteúdo dela também. Todo ano faço isso. É uma doação. Gosto de saber até onde vai a honestidade do ser humano e realmente vejo que ainda existem pessoas boas e honestas.

O dinheiro é seu , meu filho. Seja feliz!

Esse senhor deitado na sua varanda não está morto; ele trabalha para mim e pelo visto trabalha muito bem mesmo!

Ele com certeza já não está mais lá! Foi ajudar outra família necessitada!

Meu querido, faça bom proveito desse dinheiro.

Fique bem!

E assim, desligou o telefone estarrecido e muito feliz, pensando o quão ainda existem pessoas boas e surpreendentes.

Sentou em sua varanda, olhou para o céu e disse:

- Realmente, esse dia ficará para a história e nunca mais o esquecerei.!!!





Postado por Ludimila Aparecida Faria Sapienci

Um comentário:

  1. Wanderson Fernando7 de novembro de 2012 09:56

    Parabéns Ludimila, ficou bem legal. Quanto ao nome de quem fez, fiz igual a você. Não consegui colocar as fotos dos componentes...

    ResponderExcluir